A origem da Santa Casa

História centenária remonta ao final do século XV no reinado de D. Manuel I quando foi assinado o compromisso original da Misericórdia em 1498, reconhecido pelo papa. A irmandade composta por 100 irmãos dedicava-se a ajudar os pobres, doentes e presos.

1534

Primeira sede

A irmandade recebe vários privilégios e doações e neste ano por ordem do rei D. Manuel é concluída a primeira sede em Lisboa.

1657

É criada a instituição da mesa dos enjeitados

Após as guerras de independência de Portugal, o número de crianças abandonadas aumenta. A Santa Casa também dava sustento a detidos.

Século XVIII

Santa Casa recebe igreja e a casa professor S. Roque

Com o Marquês de Pombal no poder, o Estado passa a ter uma maior intervenção na gestão da instituição. Em 1768 é dada à Santa Casa a igreja e a casa professor S. Roque, até então da Companhia de Jesus. Ainda hoje é a sede da Santa Casa. A SCML recebeu os órfãos e outros desprotegidos pelo terramoto de 1755.

1783

Lançamento da lotaria anual

Dificuldades financeiras levaram a instituição a pedir à rainha D, Maria I autorização para lançar a lotaria anual para angariar receitas.

1843

Nomeação da comissão administrativa

Os anos pós-revolução francesa e as guerras liberais marcaram o declínio da irmandade e em 1843 foi nomeada uma comissão administrativa para gerir e reformar a Santa Casa.

1870

Santa Casa lança novas medidas de apoio à população carenciada

Foi introduzida vigilância das crianças deixadas na roda, o que levou a uma diminuição do número de abandonos. Foi também reorganizada a ajuda a mães carenciadas, em vez do subsídio passou-se a financiar o período de aleitação da criança e a atribuir prémios às mães que viessem requerer os seus filhos. A Santa Casa prestava assistência médica à população carenciada.

1887

Criação da sopa da caridade

Foi criada a sopa da caridade, mais tarde designada Cozinha dos Pobres.

1926 a 1931

A Misericórdia assume o financiamento de várias instituições em Lisboa

A Misericórdia de Lisboa recebeu várias instituições, desde balneários a postos de socorro, serviços de distribuição de subsídios e pensões, o sanatório de Santa’Ana na Parede, cozinhas económicas e creches.

1935 a 1945

Inauguradas novas unidades de saúde

Na dependência da Santa Casa foram lançados o Instituto Médico Central e o Hospital Infantil de S. Roque.

1961

Lançamento do Totobola

É lançado o Totobola cujas receitas eram divididas pela reabilitação física e pela promoção do desporto e educação cívica.

Lusa - António Cotrim

1966

Criado o centro de reabilitação de Alcoitão

Ainda hoje esta unidade é a referência para a medicina de reabilitação física.

Lusa - Manuel Moura

Pós 25 de Abril

A Misericórdia recebe cada vez mais serviços e entidades de apoio social

Com o encerramento de delegações ultramarinas e a queda de receitas dos jogos, a Santa Casa volta a passar por graves dificuldades.

A criação do Serviço Nacional de Saúde integra todos os hospitais do Estado. A Misericórdia foi recebendo mais serviços e entidades de apoio social, em particular creches.

Ficaram na alçada da Misericórdia, o Hospital de Sant’Ana e o Centro de Alcoitão.

Nos anos 90 é lançado o Totoloto.

Lusa - Manuel A. Lopes

2004

Lançamento do Euromilhões

O Euromilhões torna-se rapidamente no jogo mais importante explorado pela Santa Casa, em receitas e prémios atribuídos. Atualmente, a Raspadinha é o principal jogo.

2008

São aprovados os novos estatutos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

São clarificados o quadro legal de ação e os principais objetivos e missões da entidade que vão da ação social, saúde e educação até à cultura e a promoção do bem estar e qualidade de vida.

Lusa - Pedro Nunes

2017

Pedro Santana Lopes sai antes de completar mandato

Pedro Santana Lopes é nomeado por Pedro Passos Coelho provedor da Santa Casa da Misericórdia em 2011. Mandato é renovado em 2016, mas o provedor abandona o cargo em 2017 para concorrer à liderança do PSD. É substituído por Edmundo Martinho.

Fonte: Site Santa Casa - História